foto45-400.jpg

…sem parecer motorista de diretor. A nova geração, lançada esta semana, rejuvenesceu claramente. Comentário de um funcionário da GM: “antes muitos donos de Omega usavam o carro durante a semana e no fim de semana trocavam por outros veículos para passear. Agora queremos que o novo Omega seja o automóvel de todos os dias”.

O novo Omega parece outro carro ao vivo, mais refinado e linhas mais limpas. É bonito, mas vai confundir muita gente na rua pois não tem a cara da Chevrolet. Basta ver as saídas laterais copiadas da BMW.

Ele também é agradável por dentro, sem o excesso de botões do outro modelo. Mais tecnologia à bordo acabou deixando o carro pesado, 130 kg a mais, o que refletiu no desepenho inferior ao do seu antecessor: 229 km/h (235 km/h) e 0 a 100 km/h em 8,1 segundos (7,5 segundos).

O motor V6 de alumínio perdeu 4 cv e ganhou um 1 kgfm de torque, que agora chega em rotações menores. São 254 cv a 6000 giros e 35,7 kgfm a 2600 rpm.

O novo Omega começa a ser vendido na 2ª quinzena de agosto por R$ 145 000, com direito a DVD na parte traseira e três cores disponíveis – preto, prata e grafite. Quem quiser comprar o sedã, terá apenas 26 concessionárias autorizadas em sete cidades: São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Curitiba, Porto Alegre, Brasília e Campinas, que representam 70% das vendas. Os demais poderão adquirir o carro pelo sistema de venda direta.