Volkswagen Fox Prime 1.6 I-Motion

Rodamos por Brasília nesta tarde a bordo de duas versões do Fox. Começamos pela 1.0 Trend, a mais vendida, e terminamos com a 1.6 Prime com câmbio automatizado I-Motion, a mais cara e maior novidade do modelo. Já que a motorização não sofreu mudanças significativas, o test-drive concentrou-se mesmo em sentir o ambiente do Fox e compreender se ele pode ou não atrair novos clientes.

Nossa impressão é que sim. Quem torcia o nariz para seu interior não tem do que reclamar. O interior é convidativo, prático, funcional e confortável. No entanto, é importante observar que a Volkswagen equipou os carros de teste, até mesmo as versões básicas, com alguns equipamentos opcionais – o volante do Passat CC, por exemplo, estava presente em todos assim como o I-System.

Esquecendo desses detalhes, que tornam a versão 1.0 cara demais, o Fox está ainda mais alinhado com o Polo. E não estamos falando do visual calcado no europeu. Veja o caso do painel da porta do motorista. Sai de cena aquela horrível placa plástica com os comandos dos retrovisores externos instalados numa posição pouco prática e entra uma peça semelhante a do Polo nacional, com botões mais funcionais.

O painel de instrumentos, chamado pela Volks de “cluster”, não tem nada de revolucionário, é verdade, mas faz a gente pensar por que a montadora desenvolveu o tal painel minimalista da versão original. E mais: por que tirar o porta-luvas? E o console central, um crime contra a ergonomia? Pois bem, hoje os executivos da VW falavam de boca cheia do novo painel, que ele segue a vontade do consumidor, etc. Claro, é um painel normal, como o da maioria dos carros. O antigo foi um desgaste à toa que privou 1 milhão de clientes de um interior mais racional.

Motor manco

Sem novidade mecânicas, andar no Fox é um exercício de memória do antigo. O comportamento é o mesmo: suspensão firme sem ser dura, engates precisos do ótimo câmbio MQ200, posição de dirigir bastante elevada e a constatação que um carro com esse tamanho não merece um motor 1.0. Qualquer subida e o EA111 não dá conta de oferecer o torque necessário para uma retomada de velocidade.

A sensação ao volante, no entanto, é positiva: volante de ótima pegada, comandos satélites de fácil operação, manopla do câmbio mais refinada e acabamento mais de acordo com o preço que ele custa.

Mas é bom considerar que o 1.0 básico, com ar e trio elétrico pode sair pelo preço de um Agile LT, com motor 1.4. Se lembrarmos que opcionais em carros populares perdem muito do seu valor na revenda, não parece um bom negócio.

Menos pior

Mudamos de carro e dentro do Fox 1.6 Prime alguns detalhes chamam a atenção. O acabamento dos bancos é caprichado, as borboletas do câmbio I-Motion são visíveis, mas você sabe que itens interessantes como ar-condicionado, rádio com MP3 e Bluetooth,o trio elétrico e os próprios paddle-shfit são opcionais. O carro tem mais cromados, ponteira de escapamento e o spoiler traseiro, ou seja, tem o visual ideal que vemos nas fotos de divulgação.

O motor 1.6 dá ao Fox a energia necessária para ser conduzido como deve e o câmbio ASG é o que podemos considerar o “menos pior” dos automatizados. Para quem nunca dirigiu um veículo com esse equipamento, o problema reside principalmente na troca da 1ª para a 2ª e um pouco da 2ª para a 3ª que dão o famoso tranco. No sistema desenvolvido pela VW em parceria com a Magnetti Marelli (a mesma do Dualogic), no entanto, o tal tranco é bem leve. A razão seria o escalonamento mais longo nas primeiras marchas para que o torque não seja muito alto.

Usando o recurso sequencial das borboletas deixa o Fox mais na mão. As trocas são rápidas e a tocada, mais esportiva. Mas continuo afirmando: câmbios automáticos e com embreagem automatizada não pertencem ao mesmo segmento. A única coisa em comum é a ausência de pedal de embreagem.

Polo pode ser a vítima

A Volkswagen nega de pé junto, como dissemos antes, que o Fox das versões mais caras possa confundir os clientes do Polo, mas continuamos com a pulga atrás da orelha. A Honda disse o mesmo sobre o City e o Civic e hoje o primeiro tira vendas do segundo.

A montadora não fala em previsão de vendas – assunto proibido e que irrita os executivos – mas dá para imaginar o Fox vendendo mais, porém, seus clientes terão menos equipamentos que a concorrência.

Fichas técnicas

Fox 1.0 Trend
Fox 1.6 Prime I-Motion