Certificado de Registro e Licenciamento do Veículo (CRLV), utilizado para transferir a documentação

Certificado de Registro e Licenciamento do Veículo (CRLV)

Comprar um carro é o sonho de muitos brasileiros. No entanto, é necessário ficar atento caso o veículo seja um modelo usado, porque a aquisição vem acompanhada de algumas obrigações que o novo proprietário terá que cumprir para chamar o veículo de seu. Uma delas diz respeito à transferir a documentação do automóvel para o seu nome.

Existem duas formas para fazer essa transferência: contratando um despachante ou fazer esse serviço por conta própria e economizar entre R$ 200 e R$ 400. É exatamente essa segunda opção que, nós do Blogauto, iremos explicar como fazer para reduzir os gastos que você pode ter após comprar seu novo automóvel.

Primeiramente, você precisará reunir os seguintes documentos:

  • Recibo de compra e venda (CRV) preenchido e com firma reconhecida pelo antigo dono;
  • Documento original e xerox do Certificado de Registro e Licenciamento do Veículo (CRLV), do RG, do CPF e de um comprovante de endereço que não exceda 90 dias corridos após a data de emissão;
  • Duas cópias do formulário do RENAVAM;
  • Dois decalques do chassi do veículo tirados em etiquetas e colados atrás de uma das cópias do formulário do RENAVAM;
  • Pesquisa do RENAVAM que é conseguida gratuitamente em qualquer unidade do DETRAN – trata-se de uma certidão onde consta que o veículo não possui nenhum débito.

O segundo passo é ir a uma agência de qualquer banco conveniado ao departamento de transito e efetuar o pagamento da taxa de transferência do veículo, que pode variar entre R$ 140 e R$ 204.

Feito isso, junte os documentos com o comprovante de pagamento da taxa de transferência e dirija-se ao DETRAN de sua cidade para dar entrada na transferência do veículo para o seu nome.

Veja também: A 300 km/h Kawasaki ZX-10R é ultrapassada por perua Audi

Vale lembrar que, para efetuar essa transação, é necessário que todos os débitos municipais, estaduais e federais do veículo estejam quitados. Caso esse automóvel tenha sido adquirido por leasing (arrendamento mercantil), o processo de transferir poderá ser um pouco trabalhoso, visto que é o banco que terá que reconhecer os dados do CRV.

Confira a página oficial do BlogAuto no Facebook.