Chevrolet Prisma 2013 LT

Chevrolet Prisma 2013 LT

A Chevrolet nem precisava ter mantido o nome “Prisma” em seu novo sedã compacto, agora baseado no hatch Onix. Mas a escolha fará os donos do antigo Chevrolet Prisma viverem com um mico. O novo sedã é infinitamente superior ao seu antecessor.

É verdade que o novo Prisma custa mais que o anterior. A versão 1.0 LT tem preço de R$ 34.990 enquanto a LT 1.4 sai por R$ 39.090. O topo de linha LTZ 1.4 custa nada menos que R$ 45.990.

Transformar o Onix em Prisma até que não foi uma tarefa das mais difíceis. O sedã é idêntico ao hatch em altura, largura e entre-eixos, mas tem 34,5 cm a mais de comprimento. O espaço extra na traseira possibilitou que o porta-malas saltasse de 280 litros para 500 litros – ah, sim, o Chevrolet Prisma tem pneu de emergência como estepe, ou seja, mais estreito.

Chevrolet Prisma 2013 LTZ

Chevrolet Prisma 2013 LTZ

As versões são parecidas com as do Onix. Enquanto o 1.0 só existe como LT, o 1.4 é vendido como LT e LTZ. Por enquanto, não há previsão da versão LS, mais barata do Onix. Uma das diferenças do sedã é o interior, que mescla um acabamento nas cores preta e marrom, com resultado muito bom. Os itens são semelhantes também. O sistema MyLink é de série no LTZ, mas pode ser comprado no LT. Agora ele traz dois aplicativos, o TuneIn, que acessa 70 mil rádios on-line no mundo e BringGo, que é um navegador com atualização de trânsito em tempo real. Ambos precisam ser baixados em Smartphones com o Android ou o iPhone, da Apple.

Chevrolet Prisma 2013 LTZ

Chevrolet Prisma 2013 LTZ

A traseira, grande novidade do Prisma, é elegante e alta a ponto de reduzir a visão do vidro traseiro. A GM também manteve a tampa sem maçaneta, o que atrapalha muito o dia a dia.

Veja também: Qual marca de automóveis é a maior no Facebook?

O comportamento é bem parecido com o do Onix. Direção direta e respostas agradáveis do motor e câmbio, mas o 1.4 é mais indicado, sobretudo com mais passageiros a bordo. A suspensão filtra bem as ondulações, mas inclina um pouco mais do que o desejável em curvas mais velozes. Outro problema detectado no Onix e em outros Chevrolet mais novos é o banco do motorista muito elevado, que continua igual no Prisma. Uma pena.

Tiro certo

Com um desenho bastante aerodinâmico e equilibrado, a dupla Onix e Prisma nasceu bem, ao contrário do Celta e do antigo Prisma, que veio bem depois. Os dois são atraente, bons de dirigir e trazem um pacote de equipamentos geralmente melhor que os dos rivais. Não é à toa que o hatch hoje seja o Chevrolet mais vendido do Brasil. O novo Prisma dificilmente fará o mesmo com o Classic, mas o sedã pode, sim, incomodar muito o Voyage, o Siena e até seu irmão maior, o Cobalt.

Galeria Chevrolet Prisma 2013

Confira a página oficial do BlogAuto no Facebook.