A Suzuki apresentou oficialmente ontem (18/09) seu primeiro modelo que marca seu retorno ao Brasil. Trata-se do Grand Vitara, seu veículo mais tradicional, que está na 3ª geração – a 1ª é de 1988 e a 2ª, aqui vista como Chevrolet Tracker hoje, foi lançada em 1998. Mas já definiu qual será o próximo produto a ser vendido, o Jimny, um jipinho que também já foi vendido aqui.

Apesar de já estar analisando outros modelos mais modernos, como o SX-4 e o XL-7, a representação no Brasil preferiu optar pelo caminho mais tradicional, ou seja, primeiro retomar as vendas de veículos que já eram conhecidos do nosso público.

O Jimny será vendido com motor 1.3 de 85 cv e câmbio manual. O preço ainda não é final mas ficará em torno de R$ 60 000. A Suzuki agora é administrada em nosso país por um grupo ligado ao empresário Eduardo Souza Ramos, também representante da Mitsubishi por aqui. Dizem nos bastidores que a marca japonesa assumirá a operação no país, assim como pretende a Hyundai, agora que o mercado brasileiro é forte o bastante para justificar investimentos próprios.

Sinais da presença de Souza Ramos são claro na Suzuki: centro de distribuição em Catalão, GO, licença para fabricar um futuro modelo também no estado goiano e produtos com o “pé na terra”.

Um aspecto positivo na nova investida da Suzuki aqui é que a direção da empresa quer retomar o contato com os cerca de 20 000 proprietários de modelos da marca, trazidos na primeira janela de importação, entre 1992 e 2003. Segundo declarou um executivo da marca, “eles serão bem-vindos às concessionárias Suzuki e certamente queremos que continuem nossos clientes, de preferência, com algum novo modelo”.

Esperemos que desta vez a marca fique em definitivo por aqui.

Veja ficha técnica do Suzuki Jimny.