Os faróis são os nossos olhos durante a noite e são parte essencial da nossa segurança, além do que, um farol queimado pode causar multas e pontos na carteira.

Quer parcelar os débitos do seu carro? Faça tudo online: licenciamento, IPVA e multas sem todo o processo burocrático. Saiba mais, clicando aqui.

Preparamos 10 dicas para a correta manutenção dos faróis do seu automóvel.

  1. As únicas lâmpadas de xênon permitidas são as originais de fábrica e os modelos criados para reposição. O famoso “kit adaptação” é proibido pelo Conselho Nacional de Trânsito (Contran), já que adaptar incorretamente o xênon em seu veículo pode criar um alto índice de ofuscamento (devido à sua alta potência) para os outros motoristas, aumentando o risco de acidentes.
  2. Evite trepidações. O balanço irregular pode prejudicar a durabilidade das lâmpadas e a regulagem das luzes
  3. As lâmpadas dos faróis perdem cerca de 30% da luminosidade antes de queimar. Por isso, a recomendação é que elas sejam trocadas a cada 20 mil quilômetros, o que evita uma surpresa desagradável caso elas apaguem de vez durante uma viagem a noite.
  4. Não se esqueça de também checar a condição das lâmpadas de sinalização, como lanterna, freio, ré e luz de seta. Seu bom funcionamento é essencial para evitar colisões traseiras e laterais.
  5. Fique atento à tonalidade da lente protetora do farol. A exposição ao sol ou até mesmo uma lâmpada de alta potência indevidamente instalada podem causar seu amarelamento, o que ajuda a ofuscar e bloquear a luz emitida, diminuindo o campo iluminado.
  6. Evite o uso de lâmpadas não originais de fábrica e fora das normas permitidas, que podem produzir luz inferior ou mal posicionada.
  7. Além de dificultar a visibilidade e colocar sua vida em risco, uma iluminação desregulada e fora dos padrões pode doer no seu bolso: a situação é passível de multa grave, perda de cinco pontos na carteira de habilitação e retenção do veículo para regularização.
  8. Use corretamente o farol de neblina. Com uma lâmpada de intensidade mais baixa, o farol de neblina deve ser acionado junto com o farol baixo.
  9. Não precisa ser um especialista para checar a regulagem dos faróis. Basta apenas ligar as luzes do veículo em uma garagem para fazer a revisão. É importante saber que o facho de referência do farol é sempre o baixo e, portanto, deve iluminar nessa mesma direção. Já os faróis pouco desregulados somente podem ser notados quando é iluminada uma parede ou algo à frente.
  10. O farol de neblina não deve ser utilizado durante o dia nas vias urbanas. Como padrão, deve ser usado no período da noite, quando a visibilidade é reduzida por chuva forte, neblina, nevoeiro ou fumaça densa. Vale lembrar que seu uso inapropriado acarreta no ofuscamento do condutor que trafega no sentido contrário.

Confira o BlogAuto no: Youtube, FacebookGoogle+, Instagram e Twitter.

10 dicas de manutenção dos faróis