Hyundai Tucson 2016

Hyundai Tucson 2016

As fotos deste post não são uma montagem do Santa Fe, como até parece. A Hyundai resolveu mudar drasticamente o Tucson na 3ª geração do SUV. E também padronizar seu nome no mundo, deixando de lado a sigla ‘ix35’, usada na Europa e também no Brasil. Agora o modelo deve ser chamado mundialmente de ‘Tucson’ e causar uma situação complicada na filial nacional: afinal, o que fazer com o velho Tucson e o ix35, ambos montados aqui?

É, vai ser um abacaxi. O primeiro Hyundai Tucson ainda é o SUV médio mais vendido do Brasil, já o ix35, com isso, pôde ser vendido aqui com um preço para lá de salgado, quase como um carro de luxo. Como o novo Tucson é maior, mais moderno e equipado, onde a Hyundai pode encaixá-lo? Há um espaço entre R$ 100 mil e R$ 150 mil até chegar no irmão maior Santa Fe, mas será duro pensar que o novo SUV pode custar tanto assim.

Hyundai Tucson 2016

Hyundai Tucson 2016

Devaneios de preços à parte, no novo Hyundai Tucson, a Hyundai praticamente abandonou a fórmula antiga, usada no ix35. Nada de escultura fluida. Em seu lugar, um projeto de linhas conservadoras e mais brutas – o pouco que lembra o modelo anterior está na janela fixa da coluna C e nas lanternas espichadas.

A frente, calcada no Santa Fe, usa a mesma grade hexagonal com frisos horizontais. Na lateral, chamam a atenção os enormes para-lamas, bem maiores que os anteriores. Agora sob o escrutínio de Peter Schreyer, o mago do design da Kia, o Tucson ficou mais clássico para, digamos, durar mais. O ix35, embora tenha sido um marco de design na época, sofre do mal dos estilos muito agressivos, que é cansar logo.

Hyundai Tucson 2016

Hyundai Tucson 2016

Decepção mesmo foi o interior. Mesmo esperando por linhas mais tradicionais, esperávamos mais. Talvez um cluster todo em LCD, talvez uma central ainda maior. Mas a Hyundai fez o ‘arroz com feijão’: o cluster é praticamente igual aos atuais, a tela da central é comum e o console central também não chama a atenção.

Ao menos a parte técnica está bem interessante. O novo Hyundai Tucson terá motores 1.6 GDi com injeção direta e opção de turbo, com potência entre 135 cv e 167 cv, além de câmbio de dupla embreagem e sete marchas. Itens como ‘Park Assist’, aviso de mudança de faixa e frenagem automática estão incluídos na versão europeia, que será fabricada na República Tcheca. Ainda não se sabe como serão os pacotes das versões de outros mercados.

Veja também: 10 carros mais caros em 2014 nos leilões

O novo Hyundai Tucson também cresceu: é 3 cm mais largo, 3 cm maior no entreeixos e 6,5 cm mais longo, o que deve conferir uma presença nas ruas muito mais marcante. Talvez tenha sido esse o objetivo: tornar o Tucson uma opção mais próxima ao Santa Fe e, assim, abrir espaço para um SUV compacto como o ix25 chinês. Certo mesmo é que ele não custará barato. Seja na Europa, Estados Unidos ou Brasil.

Confira a página oficial do BlogAuto no Facebook e no Google+.

Hyundai Tucson 2016: eis o sucessor do ix35