Renault Twizy

A Renault divulgou nesta quinta-feira um comunicado sobre o Twizy, um dos veículos elétricos do programa Z.E (Zero Emission) que a marca está implantando. O curioso é que nesse texto é citado um site (www.renault-ze.com) que serve para prover informações sobre os modelos e lá consta o Brasil com um dos 38 países citados.

O site não diz claramente o que a Renault pretende com esses carros, mas é estranho que ela tenha se dado ao trabalho de produzir uma versão direcionada ao nosso mercado (não é uma versão em português e sim brasileira mesmo).

Até mesmo uma contagem regressiva acontece no site, que termina por volta do dia 17 ou 18 de abril. Mas não está claro o que acontecerá nesse dia. Os primeiros elétricos da Renault serão lançados na Europa no final deste ano e a tal contagem é direcionada a países como o México, África do Sul e o Brasil, claro. No texto, há um texto enigmático dizendo que nesse dia “poderemos prová-los” etc.

Que Carlos Ghosn quer ter seus elétricos no Brasil não há dúvida. Ele já vem fazendo lobby para colocá-los em testes no país como por exemplo a CET paulistana. Mas lançar os carros aqui ainda é uma meta pouco clara já que não temos rede de abastecimento para isso e nem uma legislação apropriada para esse tipo de veículo – o ex-presidente Lula chegou a preparar um anúncio mas voltou atrás.

O Twizy, por exemplo, custará a partir de 7.690 euros na Europa, cerca de R$ 18.000. Aqui, com os impostos, poderia chegar a mais de R$ 40.000 – e isso para um veículo de dois lugares apenas.

Contatamos a assessoria da Renault no Brasil e ela disse que se trata apenas de uma versão em português do site e que a contagem regressiva refere-se à venda na Europa. Ainda assim, para quê a montadora teria se dado ao trabalho de criar um site para o Brasil se não tivesse interesse em vendê-los aqui? Aliás, a Renault disse também que trará alguns para promover ações no país, certamente a fim de pressionar as autoridades a aprovar algum incentivo para venda de elétricos no Brasil, sem o qual se torna inviável qualquer projeto.