Mesmo custando bem menos que sua “inspiração”, o Lifan 320 ainda não vende tanto quanto o Mini Cooper. Em janeiro, o carro britânico teve 203 unidades vendidas enquanto o chinês conseguiu 110 emplacamentos.

A situação é um pouco pior ao que havia ocorrido em dezembro, mês em que o Lifan chegou a ter 186 carros comercializados. Enquanto o 320 custa cerca de R$ 30.000 o mais barato dos Mini, o Salt, sai por R$ 80.750, ou 170% a mais.

Embora os dois não atinjam o mesmo público (por causa do dinheiro e não pelo gosto), se tivéssemos que apostar em quem venderá mais este ano arriscaríamos o Lifan: basta uma rede um pouco maior para que o 320 consiga números mais expressivos enquanto que a Mini pode até crescer, mas não deve dobrar seus números na teoria. Vamos acompanhar.