Renault Logan 2014

Renault Logan 2014

Depois de pouco mais de seis anos no mercado, a Renault lançou nesta semana o “novo Logan“, sedã que meio que salvou a marca de uma situação ruim na Europa e em algumas partes do mundo. O modelo foi a maior sacada que a empresa teve nos últimos tempos e parece até que foi sem querer. Para quem não se lembra, ele nasceu para aproveitar o fim da “Cortina de Ferro” no Leste Europeu e serviu como opção para as famílias desses países trocarem seus Ladas e Trabants por um veículo robusto, espaçoso e barato, mais uma vez  o BlogAuto acertou este  lançamento, veja aqui.

Quer parcelar os débitos do seu carro? Faça tudo online: licenciamento, IPVA e multas sem todo o processo burocrático. Saiba mais, clicando aqui.

Mal sabia a Renault que o produto da Dacia (a marca romena que o criou) encontraria clientes em diversas partes do mundo. E, assim, ele acabou sendo produzido em outros mercados sempre com bom custo-benefício até que chegou ao Brasil em 2007.

Aqui o Renault Logan viu seus defeitos serem expostos. O visual feio não passou batido como em outros mercados, e o preço, grande chamariz, aqui ficou bem mais alto. Ainda assim, o bom espaço interno, os três anos de garantia e o custo baixo de manutenção encontraram seus fãs.

Renault Logan 2014

Renault Logan 2014

Mas, afinal, por que esses aspectos racionais não falaram mais alto aos ouvidos do consumidor brasileiro? Porque aqui design é primordial, como se sabe. A confirmação disso veio algum tempo depois com o Renault Sandero, um Logan hatch, mas de visual repensado. Resultado? Sucesso. O Sandero hoje vende como modelo de marca grande aqui, embora seja na essência o Logan.

Pois bem, quando chegou a hora de renovar a dupla, a receita estava clara: manter a base mecânica e tornar o Renault Logan atraente. A tarefa ficou mais fácil nas mãos de Laurens Van der Acker, o design-chefe da Renault. Profissional de imenso talento, o holandês praticamente retocou as formas do velho Logan para criar esse carro das fotos.

É impressionante ao vivo. Olhando os dois modelos ao mesmo tempo, dá para perceber que a carroceria teve o capô levemente encurtado para ganhar um para-brisa mais inclinado e curvado. Na traseira, Van der Acker suavizou um dos pontos mais feios do Logan, a caída atrás da porta traseira. É coisa de milímetros mas suficiente para acabar com aquela ponta. Para completar, aplicou-se por fora o atual design da Renault, que é o melhor dela em muitos anos.

Renault Logan 2014

Renault Logan 2014

Por dentro, outra mudança importante. Agora o Renault Logan 2014 não briga mais com a ergonomia. O painel como um todo está mais elevado e a posição de dirigir, mais natural – antes você mal enxergava alguns botões na parte inferior do console central.

Como era esperado, a marca francesa também equipou o Renault Logan 2014 com vários itens hoje requisitados pelo cliente, entre eles controle de cruzeiro, ar-condicionado automático (mas não digital), sensor de estacionamento, comandos satélites no volante e central multimídia que, aliás, é das mais fáceis de usar do mercado.

Renault Logan 2014

Renault Logan 2014

Mas as novidades praticamente param por aí porque o Renault Logan 2014 é, na essência, o mesmo carro de antes. As medidas são quase idênticas, o que é positivo em relação ao espaço interno e porta-malas (que continua com 510 litros). No entanto, o Logan continua a ter um acabamento simples, com plásticos mais agradáveis, mas que nem de longe passam a impressão de conforto.

Outro problema: as novidades são opcionais na maioria ou, estão disponíveis apenas a partir da versão intermediária, Renault Logan 2014 Expression (com preço de R$ 33.990 para o 1.0 e R$ 39.440 para o 1.6) . A Authentique (R$ 28.990), de entrada, parece outro carro. Reparem nos dois painéis acima. O de cima é do Dynamique (R$ 42.100), o top, e o debaixo, do Authentique. É muita disparidade.

Sem graça ainda

Uma certa decepção bate também ao dirigir o novo Renault Logan 2014. A parte mecânica é o aspecto que menos evoluiu. A direção, hidráulica, continua pesada, assim como a alavanca do câmbio manual. Exceção é a suspensão que, recalibrada, ficou mais confortável e silenciosa. Mas nem isso torna a direção do sedã agradável. Os motores são velhos conhecidos da Renault, o 1.0 litro 16V e o 1.6 litro com oito válvulas. São bons motores, é verdade (o “popular” respondeu bem nas retomadas), porém, hoje espera-se por blocos leves e de três cilindros.

Outro ponto que esperava mais era o do cuidado com detalhes, mas a Renault não se importou em esconder parafusos e o trilho dos bancos dianteiros, que ficam expostos entre os bancos. Coisa simples que pode ser corrigida.

Em suma, o novo Renault Logan 2014 é velho Logan repensado, ou “Reloaded”. Talvez por isso a Renault não espere muito aumento nas vendas (expectativa de 3,5 mil unidades/mês). O modelo continuará sendo uma alternativa barata para famílias que precisam de espaço e estão saindo dos Clios, Celtas, Palio ou mesmo Sienas e Classics. E também para taxistas e frotistas, como confirmou um executivo da empresa para o BlogAuto.

Veja também: Como trabalhar para uma fábrica de automóveis?

Mas é fato que agora o Renault Logan 2014 será apenas mais um sedã popular grandão e não mais o patinho feio do mercado. Esse título ele passa com orgulho para o Etios, da Toyota.

Galeria Renault Logan 2014

Confira a página oficial do BlogAuto no Facebook e no Google+.