Peugeot Hoggar Active

Peugeot Hoggar Active

A picape pequena Peugeot Hoggar já se prepara para dar seus últimos suspiros no Brasil. O CEO da fabricante francesa, Maxime Picat, revelou durante uma entrevista ao site holandês Telegraaf que o modelo utilitário deverá sair de linha em breve, como parte do plano de reestruturação da PSA Peugeot-Citroën, que consiste em reduzir sua gama de 45 veículos vendidos atualmente no mercado global para apenas 26 modelos até meados de 2020.

A picape desenvolvida e produzida somente no Brasil é comercializada no País desde 2010 e, desde então, nunca conseguiu ao menos se aproximar das veteranas Fiat Strada e Volkswagen Saveiro em vendas. Ou seja, um baita prejuízo pra Peugeot, já que o projeto do Peugeot Hoggar consumiu cerca de R$ 100 milhões dos cofres da marca. Durante o ano passado, apenas 747 novas unidades do modelo foram às ruas, enquanto este ano, apenas 271 exemplares foram comercializados. O plano inicial da empresa era abocanhar 10% das vendas do segmento de picapes pequenas.

Peugeot Hoggar Active

Peugeot Hoggar Active

Além do Peugeot Hoggar, outros modelos da linha da empresa deverão morrer em breve, como é o caso do 207+ comercializado no mercado europeu e da minivan 807, e por aqui o 207 sedan. Por outro lado, Picat confirmou a segunda geração do cupê esportivo RCZ. O novo modelo está previsto para chegar ao mercado em 2016 e seguirá os passos do novo 308, com direito a plataforma modular EMP2, já usada também nos novos C4 Picasso e Grand C4 Picasso, da Citroën.

A Peugeot tentou entrar em um segmento altamente disputado pelas protagonistas Fiat Strada e Volkswagen Saveiro, com as outras sendo meras coadjuvantes. Sabe-se que internamente que muitas mudanças foram feitas após a escolha desse projeto com grandes trocas de cadeiras. Uma pena, já que o produto é muito bom e honesto.

Fabiano Mazzeo

Peugeot Hoggar