Finalmente algo bom vindo dos “queridos” políticos brasileiros. A Câmara analisa o Projeto de Lei 2976/11, do deputado Felipe Bornier (PSD-RJ), que obriga a vendas de veículos automotores, seja nacional ou importado, que tenham sido aprovados em teste de impacto, o conhecido crash test, onde os automóveis (principalmente os nacionais) à venda no Brasil obtém baixa nota.

Para comprovar a capacidade de resistência do automóvel ou como reagem em casos de colisões, todos os veículos fabricados ou montados no território nacional serão submetidos a avaliação realizada por entidades especializadas, como a EURO NCAP, por exemplo, que na maioria das vezes testa os carros à venda na Europa.

Quer parcelar os débitos do seu carro? Faça tudo online: licenciamento, IPVA e multas sem todo o processo burocrático. Saiba mais, clicando aqui.

Bornier explica que o teste é um procedimento de segurança adotado internacionalmente pela indústria automobilística. Hoje, no Brasil, poucos dos modelos à venda no Brasil foram submetidos ao crash test.

“A aprovação do veículo no teste de impacto vai reduzir possíveis danos a condutores e a passageiros em colisões de trânsito. Os custos com o tratamento e a recuperação de vítimas de acidentes são muito elevados. Essas despesas poderiam ser reduzidas se os carros fossem produzidos com maior resistência”, disse o deputado.

Será reprovado no teste de impacto o modelo que não atender às requisições técnicas instituídas para garantir a devida segurança ao condutor e aos demais passageiros do veículo.

O projeto será analisado pelas comissões de Desenvolvimento Econômico, Indústria e Comércio; de Viação e Transportes; e de Constituição e Justiça e de Cidadania. Contudo, torcemos para que o PL (Projeto de Lei) seja aprovado, já que os futuros airbags duplos e freios ABS de série nos carros nacionais não poderão ser suficientes – principalmente no caso dos carros “populares” –, se a estrutura do carro não suportar fortes impactos.