E acabou. O 28º Salão do Automóvel de São Paulo fechou as portas neste domingo, 9. Agora é hora do famoso balanço, analisar o que vimos e o que achamos do evento, que serve como parâmetro para o que acontecerá no mercado brasileiro nos próximos dois anos, até que chegue a hora da 29ª edição, em outubro de 2016. Veja nossa opinião sobre os estandes das principais marcas presentes no Anhembi e dê sua opinião, caso tenha visitado o evento.

Audi

Fabiano Mazzeo –  “A marca soube bombar com o estande aberto para todos, e as filas de carros monocromáticos foram muito interessantes. Além disso a marca soube explorar como  poucos o entorno do evento com  várias ações. ponto!”

Ricardo Meier – “Era um dos estandes mais agitados, afinal os alemães deixaram o povo entrar na maior parte dos carros. O TT conversível e o conceito, nas cores verde e amarelo, foram uma boa sacada. Pena que não deu tempo de mostrar o primeiro A3 nacional”.

BMW

F.M. – “Esperava mais da marca agora nacional, decepcionou ficaram faltando emoção como naquele ano que invou  com todos os carros do estande brancos.”

R.M. – “O primeiro Série 3 nacional estava lá no estande, mas quem chamou a atenção foi o M4 dourado na lateral do estande. Os novos ‘X’ também fizeram sua aparição – X4, X6 e X5 a diesel. Apesar de não ser novidade tão recente, o elétrico i3 valeu a visita”.

Chery

F.M. – “A marca veio com o estande recheado, eram muitos carros, inclusive versões customizadas no Brasil, mostrou que veio para ficar.”

R.M. – “Gostei do estande da Chery. Acho que eles conseguiram mostrar que o velho Tiggo é passado. Os sedãs Arrizo 7 e o conceito Alpha mostraram que eles já começam a fazer carros bem atraentes. Até o novo QQ é bem mais legal que o antigo. O Celer também mostrou evolução”.

Chevrolet

F.M. – “Suplantou a falta de nov idades com um estande monumental e cheio de interatividade, ficou devendo um conceito à altura dos últimos salões e no  nível do departamento de  design no Brasil.”

R.M. – “Pela grandiosidade do estande, esperava algo mais da Chevrolet. O Cruze com um leve tapa e a Spin Activ não eram para tanto. E mesmo o Corvette, isolado lá no alto, parecia querer dizer que ele não é para nosso bico”.

Citroën

F.M. – “Novidades escondidas e um belo conceito  em cima do C4 Picasso e só, ficou  devendo”

R.M. – “Pela situação delicada da Citroën e da Peugeot, também queria ver alguma luz no fim do túnel, mas o Cactus simbolizava o ‘deserto’ mesmo: apenas o conceito, antigo, em vez do carro de série. Motor THP flex é bacana, assim como a C4 Picasso, essa novíssima, mas figurante no mercado”.

Chrysler

F.M. – “Chrysler? Aqui só tinha Jeep e o somente  o Renegade, não tinha outra forma de marcar  com a  grande  estrela do Salão a novidade mais aguardada.”

R.M. – “O foco da montadora era tão e somente o Renegade que, como disse, pode ser apontado como principal novidade do salão deste ano. Ele significa um renascimento da Jeep e a maior aposta da Fiat nesse segmento. Em compensação, Chrysler, Dodge e RAM ficaram como enfeites no estande”.

Fiat

F.M. – “O conceito FCC4 poderia mostrar mais a linhas finais da futura picape média da marca, o Bravo 2015 foi a surpresa, o restante já havia sido mostrado.”

R.M. – “A Fiat não é uma marca que se programa em cima do calendário de salões. Cansei de ver salões em que não havia nada importante no estande dela, mas as novidades existiam, no entanto, lançadas há tempos. Desta vez, o Bravo reestilizado foi pouco. Ainda bem que estava lá o conceito FCC4 para colocar alguma luz na inédita picape esportiva que chega em 2015”.

Ford

F.M. –  “Colocaram  a atração no centro do estande, o Mustang, para atrair mais público. Algumas atrações ficaram escondidas nos cantos.”

R.M. – “A Ford renovou sua linha numa velocidade impressionante nesses dois anos. O modelo mais velho do estande era o New Fiesta, para se ter uma ideia. Mas custava reconhecer que o Mustang virá para o Brasil? Precisou um executivo no SEMA dizer para o Webmotors quee ele vem, sim, em 2015. Pena”.

Geely

F.M. –  “A Geely que é a dona da Volvo, ficou ao lado da marca sueca para mostrar a proximidade da marcas, a marca veio forte agora precisa chegar ao mercado com a mesma força”

R.M. – “Estande grande, mas com pouca coisa para mostrar. A Geely, ainda pouco conhecida no Brasil, aproveitou para mostrar-se para um grande público, mas a rede precisa crescer logo. Agora, não precisava botar um camarada vestido de Panda ao lado dos GX2 e GC2. Com aquele calor, coitado…”.

Honda

F.M. – “A japonesada da Honda mostrou  muita força no salão, todas novidades estavam  lá, incluindo o HR-V que será  nacional em breve,  destaque para o “Box” da McLaren/Honda em homenagem ao Senna”

R.M. – “Talvez fosse o estande com mais novidades por metro quadrado. Ali estavam dois modelos recém chegados ao Brasil, o Fit e o City. Mas também o Civic Si, que vivia cheio de gente em volta. Os destaques eram outros: o CR-V reestilizado e o HR-V, futuro nacional. E ainda tinha o conceito NSX, com um pézinho no Brasil, o MP4-4 de Ayrton Senna, a moto do campeão da MotoGP…”.

Hyundai

F.M. – “Apesar de serem duas empresas no Brasil, mostraram uma sinergia, ficou faltando o Futuro ou  não modelo que será fabricando no  Brasil”

R.M. – “Um dos estandes mais impressionantes. Pena que não existiam tantas coisas novas. O novo Genesis é bacana, assim como ver o Azera reestilizado e o Veloster turbo. Mas o R-Spec, o conceito em cima do HB20 que mostra as linhas futuras da marca deixaram um gostinho de quero mais.”

JAC

F.M. – “Com uma mudança de foco de produtos o destaque  ficou para os novos utilitários esportivos T5 e T6, além de diversas versões personalizadas”

R.M. – “A JAC era a primeira marca a ser vista por quem entrou no Anhembi. E ela aproveitou isso ao mostrar vários T6 e T5 logo de cara. Tinha até um J3 Turin elétrico, algo ‘inesperado'”.

Jaguar

F.M. – “Dividindo o espaço com a Land Rover, a Jaguar foi rápida e trouxe o XE para o  evento, mesmo tendo o volante do lado direito.”

R.M. – “O novo sedã XE impressionou. Com um capô imenso, parecia um carro maior, mas é rival do Série 3 e do Classe C mesmo”.

Land Rover

F.M. – “A confirmação  do Land Rover nacional, o  Range Rover Sport foi o grande destaque e notícia da marca”.

R.M. – “Havia Land Rover para todos os gostos: Range Rover alongada com interior de avião, Range Rover Sport com acabamento esportivo, Evoque, mas o destaque foi mesmo o novo Discovery Sport, futuro nacional”.

Lexus

F.M. – “Um SUV  novo o NX 200t, foi  a novidade da marca de luxo da Toyota.”

R.M. – “Se a mamãe Toyota não trouxe nada palpável coube à Lexus mostrar um lançamento próximo, o SUV Nx200t, bacaninha, mas nada de tirar o chapéu. Diferente do conceito RC350, um lindo cupê que teve espaço privilegiado no estande”.

Lifan

F.M. – “A surpresa ficou para o 820 um sedã grande que mostra que a marca sabe  fazer outros tipos de carros, e apresentou  o  X50 como a novidade que está chegando”

R.M. – “A marca chinesa não posou de gigante, mas fez sua parte. Mostrou o novo sedã 530, o futuro lançamento X50 e ainda um sedã grande, o 820, para provar que sabe fazer carro de luxo”.

Mercedes-Benz

F.M. – “Na apresentação para a imprensa  fez um grande  desfile de  carros, mostrou muitas novidades com destaque para o belo Mercedes-AMG GT-S”

R.M. – “Claro, o esportivo Mercedes-AMG GT dourado era o rei do estande, mas sabe quem me chamou a atenção? O Classe S AMG 65 Coupé. Imenso e tão belo quanto. Estava num cantinho, mas impossível não notá-lo”.

Mitsubishi

F.M. – “A grande notícia foi o Lancer nacional, que estava meio acanhado no estande e nos dias para  o público enchia o estande com celebridades em  tardes de autografo”

R.M. – “O que mais aparecia no estande da Mitsubishi era o conceito de SUV de visual um tanto estranho. A melhor notícia, no entanto, era o Lancer nacional”.

Mini

F.M. – “seguindo o mesmo padrão mundial da marca escondia a grande  novidade atrás de  uma  grade, a novidade foi o mini  quatro portas, nada mais estranho.”

R.M. – “Como estande, o espaço da Mini era convidativo. Inclusive na hora em que passei lá estava servindo uns apetitosos hamburgueres… Fui lá ver o Mini 4 portas, mais um devaneio dos donos da BMW. Sei lá, é bacana, vende bem, mas acho que a marca já desvirtuou”.

Nissan

F.M. – “O Kicks mostrou-se belo e que deverá  demorar  mais para chegar do  que é esperado visto que o modelo ainda está com linhas bem distantes das que estarão  nas ruas  do Brasil.  O  GT-R estava lá, quando a  marca vai ter a coragem  de  trazer?”

R.M. – “Se a Renault mostrou a picape Duster já quase pronta, esperava ver o SUV compacto nacional mais perto das ruas. Mas o conceito Kicks ainda não é a visão mais nítida dele. O Versa reestilizado era esperado, assim como o Godzilla GT-R. Mas ele poderia vir para sempre, né Nissan?”.

Peugeot

F.M. – “O belo 2008 estava lá, mas distante  do público, um erro de  posicionamento, o público tem que  ver, tocar, desejar o carro!”

R.M. – “O SUV 2008 apareceu no salão, como era de se esperar. A marca francesa, no entanto, vai precisar gastar com publicidade para que o modelo apareça em meio a tantos SUVzinhos que estão chegando”.

Porsche

F.M. – “Aproveitou a ausência da Ferrari e Lamborghini e reinou  sozinha, com o belo 918, deverá ser  o último salão com a  importadora Stuttgart. Em 2016 deverá ser a marca oficialmente por aqui.”

R.M. – “Única supermarca presente no salão, a Porsche fez bonito. Além do Cayenne reestilizado, trouxe o novo 911 4S Targa e o fabuloso 918 Spyder Hybrid, que reluzia em seu espaço”.

Renault

F.M. – “Grande surpresa do salão a  picape Duster deu as caras  em uma versão quase de rua, ofuscou o facelift do Fluence, além do Lotus do Mansell, disfarçado  de carro do Senna.”

R.M. – “Outra montadora que fez a lição de casa. A picape Duster Oroch instigou quem a viu, o Fluence reestilizado pareceu melhor do que o atual, que já é um carro legal, e o Sandero Stepway completou a gama de novidades. Mas tinha mais o que ver: Mégane GT, Zoe, Twizy e o conceito Kwid.”.

Subaru

F.M. –  “Com a nova presidência a marca finalmente desabrochou, vamos  ver logo  se as vendas acompanham”

R.M. – “Pequeno, mas interessante o estande da Subaru. Ver os novos WRX e WRX STI já valeria a pena, mas estava lá também o conceito Viziv 2”.

Suzuki

F.M. – “O BlogAuto já tinha antecipado as novidades do estande  quando entrevistamos o  presidente, e sim elas  se confirmaram, o  S-Cross  chega como  mais uma opção da linha japonesa”

R.M. – “Colorido e aberto, o estande da Suzuki convidava a uma passadinha. E tinha coisas legais como o conceito Crosshiker e o novo S-Cross, crossover que chega em 2015 e antecipado em primeira mão pelo BlogAuto”.

Toyota

F.M. –  “Trouxe as novidades do Japão, já que por aqui tudo continua  como antes”

R.M . – “Se não tinha novidades que chegarão às concessionárias, o estande da Toyota era um dos mais cheios de curiosidades. Lá podia se ver o conceito híbrido FCEV, que dará origem ao primeiro modelo do tipo produzido em série, além do FT-1, o esportivo que nasceu no jogo Gran Turismo”.

Troller

F.M. –  “Com um só modelo, mostrou variações sobre o  tema, agora aguardar as vendas”

R.M. – “O novo T4 mostrou que quer ser mais que um jipe lameiro. A marca cearense explorou várias possibilidades para tentar trazer mais gente para o modelo. Vamos ver se funcionará”.

Volkswagen

F.M. – “Muitas novidades, mas a maioria de versões ou modelos para serem avaliados pelo público. Cadê  o Taigun?

R.M. – “Em número de novidades, talvez fosse o estande que mais tinha a mostrar, porém, a maior parte não chegava a empolgar. Legal ver o Golf Variant assim como o híbrido GTE, mas os aventureiros CrossFox e CrossUp! pouco acrescentaram. Seria mais marcante ver o futuro SUV nacional baseado no Taigun, mas ele ficou para outra história”.

Volvo

F.M. – “aqui as novidades eram tecnológicas, ficou devendo o XC90!!!”

R.M. – “Era um dos estandes mais desanimados, a despeito de mostrar lá uma versão autônoma do sedã S60. O que queríamos ver mesmo era o novo XC90, que estava em Paris, mas a marca sueca não se mobilizou da mesma forma que a Land Rover, que fez questão de trazer o Discovery Sport poucos dias depois do salão francês”.