Demorou um pouco mais do que imaginei, mas foi ao ar no iG a matéria sobre o preço dos carros no Brasil. Estamos produzindo outros artigos analisando mais aspectos do polêmico assunto. Nessa primeira notícia, mostramos que o City brasileiro consegue ficar mais barato no México que o próprio Fusion, da Ford, que é produzido lá. Claro, isso proporcionalmente.

Mas o que mais me chamou a atenção foi comparar os preços dos carros convertidos para o dólar e dividir isso pelo PIB per capita. Aí caem por terra as teorias do câmbio, afinal aqui falamos de poder de compra dos consumidores desses países. Em outras palavras, com o que ganha em média um brasileiro ou um chinês quanto ele levaria na teoria para pagar um Civic, como no exemplo acima.

O que ninguém ainda me explicou é por que o Brasil consegue ser mais caro que os Estados Unidos, cuja moeda vale mais que aqui e que tem salários mais altos, e também que a China ou mesmo a Índia, que têm PIB per capita inferior – e bota inferior nisso – que nosso país.

Na matéria no iG há também um gráfico parecido comparando o Logan, modelo de baixo custo no resto do mundo, menos aqui onde sai por quase o dobro que na França, por exemplo.