Polo E-Flex

Polo E-Flex

O que parece uma revolução e um diferencial não durará muito tempo. Mas, como a Volkswagen foi a primeira, não custa fazer um marketing em cima. Depois de Polo BlueMotion aqui e da nova geração do Polo na Europa, agora chega ao nosso mercado o Polo E-Flex, primeiro carro bicombustível a dispensar o tanquinho de gasolina, aquele ser ressuscitado dos tempos do pró-álcool. O hatch da VW utiliza, em vez disso, um sistema de aquecimento do combustível chamado Flex Start e produzido pela Bosch.

É uma evolução natural do sistema flex, que permite que a temperatura do combustível seja detectada e corrigida por meio de um dispositivo de aquecimento. Com isso, não haverá mais o problema da partida a frio, terror dos motores movidos a álcool.

A tendência é que o Polo E-Flex vire um objeto de curiosidade daqui há alguns anos já que esse sistema de partida será adotado por todos os modelos em breve e batizar uma versão não fará mais sentido. Para o Polo, no entanto, é uma chance de chamar a atenção para ele, que não anda bem nas vendas.

A versão E-Flex traz, além do Flex Start, um bom pacote de equipamentos e a grade cromada como diferencial visual. O preço é de R$ 47 490.