Renault Scenic volta como conceito híbrido elétrico hidrogênio

Renault Scenic volta como conceito híbrido elétrico hidrogênio

A Renault está escrevendo um novo capítulo de sua história com um carro-conceito inovador, precursor e visionário. Sua aparência externa prefigura o futuro veículo 100% elétrico para a família da gama Renault. O interior e o projeto tecnológico são convites a uma viagem a outra temporalidade, em um futuro onde as tecnologias e inovações servirão a um mundo mais sustentável e com mais respeito pelo meio ambiente.

Quer parcelar os débitos do seu carro? Faça tudo online: licenciamento, IPVA e multas sem todo o processo burocrático. Saiba mais, clicando aqui.

O ecodesign e as inovações em matéria de economia circular, ao integrar mais de 70% de materiais reciclados em vários ciclos fechados, sendo 95% reciclável e contribuindo diretamente para a proteção dos recursos naturais.

A motorização híbrida, elétrica e a hidrogênio, para reduzir o tempo ocioso durante a recarga de energia, diminuindo a pegada de carbono, inclusive da bateria. O Renault Scénic Vision é zero emissão na produção e no uso, diminuindo em 75% sua pegada de carbono em comparação com um carro elétrico convencional.

As tecnologias embarcadas oferecem uma segurança reforçada para o condutor e os passageiros, permitindo reduzir o número de acidentes em até –70%. Devido ao seu projeto, este carro-conceito traduz também a vontade das equipes de criar um carro único, accessível e adaptado a todos.

Representante do plano estratégico Renaulution e da “Nouvelle Vague” da marca Renault, o carro-conceito Scénic Vision é resultado de um profundo exercício de design, com escolhas estéticas ousadas. Assim, seu design prefigura horizontes temporais diferentes para a gama de veículos Renault. O exterior revela as formas e o estilo de um novo modelo para a família, que será comercializado em 2024, enquanto o design interno é um estudo prospectivo sobre as futuras cabines dos veículos da Renault.

Sua motorização híbrida, elétrica e a hidrogênio, traduz a vontade da Renault de dar uma resposta para todos os usos, que se insere em uma visão mais distante, para além de 2030. Um design que abre caminho para novas perspectivas, um mundo onde os carros e os seres humanos convergem para os mesmos valores.

Renault Scenic volta como conceito híbrido elétrico hidrogênio

Renault Scenic volta como conceito híbrido elétrico hidrogênio

O assoalho do veículo foi produzido por meio da aglomeração de resíduos plásticos provenientes de outras origens (garrafas de leite, tubos de plástico, etc.). Em todo o veículo, 30% dos plásticos utilizados são de fontes renováveis (bioplásticos). Os revestimentos do veículo foram produzidos com carbono reciclado proveniente da industrie aeronáutica. Ciclos curtos são aplicados aos materiais estratégicos, como platina, cobre, alumínio e aço, bem como os elementos que compõem a química da bateria.

Os pneus são fornecidos por um fabricante membro da Plataforma Global para a Borracha Natural Sustentável (GNSPR), comprometido com a responsabilidade ambiental e os Direitos Humanos. Em vez de couro, foi utilizado o poliéster 100% reciclado com baixo teor de carbono. O tanque da célula de combustível é produzido com fibra de carbono proveniente de resíduos de papel reciclado.

Localizado na porta do condutor, um filtro de ar permite melhorar a qualidade do ar no interior do veículo, filtrando o ar externo. Do lado de fora, os pigmentos pretos da tinta são provenientes do tratamento de partículas captadas na atmosfera. Sem pigmentos sintéticos, a tinta contribui para melhorar a qualidade do ar.

Renault Scenic volta como conceito híbrido elétrico hidrogênio

Renault Scenic volta como conceito híbrido elétrico hidrogênio

Tecnologia H2-Tech: um veículo híbrido, ao mesmo tempo elétrico e a hidrogênio, equipado com uma célula de combustível de 16 kW. O sistema H2-Tech é baseado na tecnologia do “extensor de autonomia”, que permite embarcar uma bateria duas vezes mais leve para uma mesma autonomia, contribuindo para a descarbonização além da eletrificação do veículo. Apesar de esta solução ser uma visão para um carro de passeio, o Renault Group já oferece soluções a hidrogênio para veículos utilitários leves por meio de sua joint venture Hyvia (em parceria com a Plug Power).

A partir de 2030, quando a rede de postos de hidrogênio for suficientemente densa, será possível percorrer até 800 km – ou, por exemplo, 750 km de Paris até Marselha – sem precisar parar para recarregar a bateria. Uma parada de apenas 5 minutos será suficiente para encher o tanque de hidrogênio.

Dando continuidade a parcerias já firmadas, este veículo apresenta uma pegada de carbono inferior a 75% em comparação com um veículo elétrico como o Mégane E-Tech elétrico. Sua bateria é até 60% menos carbonizada que uma bateria equivalente, graças à utilização de ciclos curtos, bem como o uso de minerais e energia de baixo carbono para montar e produzir a bateria.

Um sistema de câmera integrada na frente do veículo amplia o campo de visão do condutor em 24%, reproduzindo o entorno imediato em uma tela localizada no painel. Assim, o para-brisa é ampliado em 180° para uma visibilidade total e segura, fazendo o capô parecer transparente.

Uma interface de avaliação de riscos permite antecipar as situações estressantes de última hora. Ela compensa a eventual falta de atenção do condutor, dando orientações personalizadas para melhorar continuamente os hábitos de direção. Esta interface também dá orientações personalizadas ao condutor a respeito da sua saúde, por meio da análise dos dados coletados pelas câmeras e sensores conectados localizados na cabine (ritmo cardíaco, fadiga, etc.).

Veja também: Os carros mais velozes das últimas 8 décadas

Um sistema de reconhecimento facial permite abrir a porta e ajustar as configurações do veículo em função do perfil do condutor. Este sistema também oferece a possibilidade de adaptar as condições de condução a uma eventual deficiência.

Cada banco é equipado com microfones e alto-falantes para oferecer seu próprio ambiente sonoro (rádio, hi-fi, condução assistida por comando de voz), mantendo uma comunicação otimizada a bordo. A retransmissão da voz dos passageiros e do condutor e, se necessário, a amplificação da voz, facilita a comunicação entre as ocupantes do veículo, principalmente se houver um usuário com problemas auditivos.

Confira o BlogAuto no: Youtube, TikTok, FacebookInstagram, Twitter e Pinterest.

Renault Scenic volta como conceito híbrido elétrico hidrogênio