Quem diria que cinco anos após seu lançamento, o motor bicombustível conseguiria transformar o álcool no principal combustível para automóveis no Brasil?

Foi o que informou a ANP, a Agência Nacional do Petróleo nesta quinta-feira. Os números referem-se a fevereiro e indicam que o álcool teve consumo 1,432 bilhão de litros contra 1,411 bilhão de litros de gasolina. Nesse cálculo estão incluídos o álcool combustível e o álcool anidro, que é misturado à gasolina.

Segundo a ANP, daqui para frente essa proporção só deve crescer salvo algum problema com a produção do combustível de origem vegetal. E pensar que o pró-álcool parecia coisa do passado.