Audi e-tron GT

Audi e-tron GT

Na unidade de Böllinger Höfe, em Neckarsulm, na Alemanha, a paixão encontra a precisão, inovação e sustentabilidade: a produção em série do Audi e-tron GT, o veículo elétrico mais potente da marca, já está em andamento nesse local, onde alto desempenho e reconhecimento ambiental caminham de mãos dadas. Com eletricidade 100% ecológica e calor de fontes regenerativas, a produção é neutra em carbono.

Quer parcelar os débitos do seu carro? Faça tudo online: licenciamento, IPVA e multas sem todo o processo burocrático. Saiba mais, clicando aqui.

Todo o processo produtivo em Böllinger Höfe é neutro em carbono. No início de 2020, a unidade de Neckarsulm passou a utilizar eletricidade exclusivamente ecológica. Além disso, uma combinação de calor e eletricidade alimentada com biogás fornece o calor necessário para a produção. E para reduzir emissões que atualmente não podem ser evitadas por meio de fontes renováveis a Audi usa créditos de carbono de projetos certificados.

“Seguindo as pegadas das fábricas de Bruxelas e Győr, agora Böllinger Höfe é a primeira instalação Audi na Alemanha onde as operações de produção são totalmente neutras em carbono. Este é um marco importante para a planta de Neckarsulm e outro passo em nosso caminho de plantas produtivas neutras em carbono mundialmente até 2025”, diz Peter Kössler, Membro do Conselho da Administração para Produção e Logística da Audi, resumindo o objetivo central do Mission:Zero, programa ambiental que compreende medidas para reduzir a pegada ecológica. O foco de atuação inclui descarbonização, eficiência de recursos, biodiversidade e soluções de inovação para o uso da água.

Um dos melhores exemplos de conservação e reciclagem de materiais é o Ciclo Fechado do Alumínio. Graças ao processo a planta economiza milhares de toneladas métricas de emissões de CO2 a cada ano devolvendo sobras homogêneas de chapas de alumínio produzidas nas prensas ao fornecedor, onde são recicladas e reutilizadas na Audi.

Em projeto piloto, as sobras de polímeros da montagem do A6 e A7 também são separadas homogeneamente, picadas e então processadas em fibras especiais. Esses filamentos são usados nas impressoras 3D, onde uma equipe interna produz materiais com precisão de acordo com as demandas dos colaboradores – mais de 100 dessas contribuições são usadas na produção do Audi e-tron GT. O objetivo do projeto de reciclagem é criar um círculo fechado perfeito de polímero.

Os ciclos fechados não são a única abordagem para conservar materiais brutos. O e-tron GT é o primeiro Audi cuja produção foi planejada sem o uso de protótipos físicos. Todas as sequências de montagem foram testadas virtualmente usando um programa desenvolvido internamente e aplicativos de realidade virtual.

Audi e-tron GT

Audi e-tron GT

No caso de papeis, novos projetos como o aplicativo de manutenção que elimina a necessidades de registros escritos convencionais ajudam a reduzir sua utilização. Atualmente a logística também está testando etiquetas digitais que substituirão adesivos de papel nas prateleiras. Elas não são somente eficientes em energia, mas também podem ser facilmente reprogramadas caso ocorram mudanças. Esta é uma grande vantagem sobre as etiquetas descartáveis convencionais.

Veja também: Os carros mais velozes das últimas 8 décadas

Alta qualidade, alto desempenho e paixão por detalhes sempre foram características de Böllinger Höfe. O Audi R8 é montado ali desde 2014. A produção em escala artesanal do veículo esportivo, que é parte da planta de Neckarsulm, foi expandida, melhorada e recebeu novas ferramentas em 2019 para integração do e-tron GT.

Confira o BlogAuto no: Youtube, TikTok, FacebookInstagram, Twitter e Pinterest.

Audi e-tron GT 100% elétrico confirmado em 2021 no Brasil