Terreno da GM em Joinville: atraso de dois anos e meio por causa da "chuva"

Um dia depois de ter surpreendido o mercado com a saída da presidente Denise Johnson, a GM anunciou que começará a construir a fábrica de motores de Joinville, um projeto que estava parado há muito tempo e que é vital para que a montadora consiga expandir  suas vendas no Brasil.

A GM aponta o excesso de chuvas na região para o atraso na terraplenagem, mas o trabalho havia começado no final de 2008 e interrompido no começo de 2009. Dois invernos depois, agora o terreno está pronto para começar a etapa civil do projeto.

A fábrica de motores tem previsão de entrar em operação no final de 2012 (contra início de 2010 no projeto original) e terá capacidade para 120 mil motores por ano.

Hoje a montadora apresentará os números de 2010 para os jornalista que cobrem economia. Também será a primeira oportunidade para explicar o que aconteceu de fato para que Denise Johnson tenha saído da empresa.