Picapes Médias

Chevrolet S10 2017

Chevrolet S10 2017

Chevrolet S10

Eis a veterana do segmento de picapes médias. A Chevrolet S10, que já soma mais de duas décadas de mercado, estreou sua geração atual em 2012 e foi reestilizada em maio deste ano para enfrentar as rivais. As mudanças, além do novo visual, incluíram ainda um interior com painel totalmente renovado, novos equipamentos e aprimoramentos no conjunto mecânico.

Quer parcelar os débitos do seu carro? Faça tudo online: licenciamento, IPVA e multas sem todo o processo burocrático. Saiba mais, clicando aqui.

Um dos destaques do modelo é a motorização. A S10 é equipada com um 2.5 litros Ecotec flex, dotado de turbo e injeção direta de combustível, que entrega 197 cv com gasolina e 206 cv com etanol, a 6.000 rpm e 6.300 rpm, respectivamente, e torque de 26,3 kgfm e 27,3 kgfm, a 4.400 rpm, com transmissão manual de seis marchas e tração 4×2 ou 4×4.

Há ainda o 2.8 litros turbodiesel, com 200 cv, a 3.600 rpm, e 44,9 kgfm na versão manual e 51 kgfm no modelo com câmbio automático, ambos de seis velocidades, com tração traseira ou nas quatro rodas.

O modelo conta com uma caçamba de 1.061 litros e capacidade de carga para 1.232 kg na versão LT com câmbio automático e tração 4×2.

A S10 é vendida nas versões LT, LTZ e High Country, todas com cabine dupla e com preços entre R$ 97.890 e R$ 167.490. O modelo topo de linha, há airbags frontais, freios ABS com EBD, controles de estabilidade e tração, assistente de partida em rampas, alerta de saída de faixa, sensor de chuva e de luminosidade, alerta de colisão frontal, câmera de ré, controle de cruzeiro, trio elétrico, rodas de alumínio de 18 polegadas, retrovisor interno eletrocrômico, sensor de estacionamento dianteiro e traseiro, sistema MyLink com tela de oito polegadas, GPS e OnStar, luzes diurnas de LED, banco do motorista com ajustes elétricos, acabamento em couro premium perfurado, partida do motor pela chave, entre outros.

No acumulado deste ano, a S10 teve 10.568 unidades vendidas, atrás apenas da Hilux nas vendas do segmento.

Volkswagen Amarok Highline

Volkswagen Amarok Highline

Volkswagen Amarok

Prestes a ser reestilizada e receber um novo motor V6, a Volkswagen Amarok segue sendo vendida no Brasil desde 2010 sem grandes mudanças. A picape é equipada com um motor 2.0 litros biturbo a diesel que rende 180 cv, a 4.000 rpm, e 42,8 kgfm, a 1.750 rpm, com câmbio manual de seis marchas ou automático de oito velocidades e tração nas quatro rodas. Há ainda um 2.0 litros turbodiesel, de 140 cv e 34,7 kgfm, sempre com caixa manual.

A Amarok é vendida nas versões S, SE, Trendline, Highline, Trendline Série Dark Label e Highline Série Ultimate, com carrocerias cabine simples (1.814 litros e capacidade de carga de 1.124 kg) e dupla (1.280 l e 1.026 kg), com preços entre R$ 116.990 e R$ 176.990.

A versão mais cara é equipada com airbags frontais, freios ABS off-road com EBD, controles de estabilidade e tração, assistente de partida em rampas, controle automático de descida, sistema de som com tela sensível ao toque e Bluetooth, ar-condicionado digital de duas zonas, direção hidráulica, faróis bi xênon com luzes diurnas de LED, volante multifuncional em couro, faróis com acendimento automático, entre outros.

Nas vendas, a Amarok se posiciona como o quarto modelo mais emplacado do segmento, com 5.410 unidades no acumulado deste ano.

Nova Ford Ranger Flex

Nova Ford Ranger Flex

Ford Ranger

Assim como a S10, a Ford Ranger foi renovada há alguns meses, com direito a um novo visual, interior aprimorado e novos equipamentos herdados dos carros de passeio da marca. O forte do modelo é justamente a lista de itens de série, sendo que a versão Limited topo de linha é dotada de sete airbags, sistema multimídia SYNC com tela sensível ao toque, comandos por voz e navegador GPS, aviso de saída de faixa, controle de cruzeiro adaptativo com alerta de colisão, rodas aro 18, farol alto automático e banco do motorista com ajustes elétricos.

Há ainda ar-condicionado automático e digital de duas zonas, bancos em couro, console central com compartimento refrigerado, luz ambiente com sete opções de cores, volante multifuncional em couro, controles de estabilidade e tração, controle automático em descida, controle adaptativo de carga, Isofix, freios ABS com EBD, chave MyKey programável com funções de segurança, monitoramento de pressão dos pneus, entre outros.

O motor que equipa a Ford Ranger Limited é um 3.2 litros turbodiesel de cinco cilindros, com 200 cv e 47,9 kgfm, acoplado a um câmbio automático de seis marchas e tração 4×4. Há ainda um 2.2 turbodiesel de quatro cilindros para a versão XLS, que rende 160 cv e 39,3 kgfm, com transmissão manual ou automática de seis velocidades e tração nas quatro rodas, além de um 2.5 litros flex para os modelos XLS, XLT e Limited, de 168 cv com gasolina e 173 cv com etanol, e torque de 24,5 kgfm e 25 kgfm, sempre com transmissão manual de cinco marchas e tração 4×2.

A Ranger está disponível apenas na configuração cabine dupla, com caçamba para 1.180 litros e capacidade de carga de 1.220 kg nos modelos flex, 1.104 kg nos com motor 2.2 litros e 1.009 kg com o 3.5 litros.

Veja também: Os melhores SUVs do Brasil com preço até R$ 80 mil

O modelo da Ford é vendido por R$ 99.500, podendo alcançar os R$ 179.900 na versão mais cara. A picape é a terceira mais vendida do segmento, com 6.836 unidades no acumulado.

Continua na próxima página